quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

E agora?!

Assistindo à minissérie Maysa ando me deliciando com os figurinos da época e conhecendo uma grande cantora de quem eu apenas tinha ouvido falar. Pensando em música, há artistas que quando a gente escuta se emociona e fica contagiado sim, ok. Mas eles não mexem na alma de um jeito perigoso. Porém há outros que são de uma intensidade tamanha que a gente é obrigado a parar de ouvir. Parece que o ambiente vai ficando soturno... O Antony (do Antony and the Johnsons), por exemplo, tem uma voz estranhamente bela e canta com tanta tristeza que eu (juro!) não consigo ouvir! A Maysa é outra que, pelo jeito, é melhor ouvir em doses homeopáticas... Bom, que ela foi uma mulher à frente de seu tempo não é novidade. O que tenho me perguntado é: quem estaria à frente do nosso tempo? Existe isso ainda? Ou a gente só enxerga depois de se distanciar da época?! Não, a Madonna pode ter sido na década de 80, mas agora? Amy Winehouse não fez nada que o Iggy Pop não tenha feito na década de 60... Algum antropólogo me ajuda?!

3 comentários:

Mariana Akamine disse...

Oi,Fá!!!

Eu já tinha entrado no seu blog sim, e gostei bastante. Como eu também não escrevo muito no meu (uma das metas para 2009 é escrever mais no blog!)não acho isso um problema, gosto de escrever quando vem a inspiração. Adorei esse texto!! Quando você achar alguem a frente do nosso tempo me conta, tá? eu também não conheço... Beijão!

jmarcos disse...

Entendo, mas Maysa era uma daquelas figuras únicas.
Pela velocidade imprimida a tudo a partir dos anos 80, fica difícil alguém marcar época, as coisas se superam muito rapidamente. E todos e tudo estão em crise! Bj., João Blãã

Fê Resende disse...

eu acho que maysa foi a britney spears do tempo dela, isso sim (super num bom sentido).